Fazer a diferença é “coisa de mulher”

Fazer a diferença é "coisa de mulher"

Hoje é comemorado o Dia Internacional da Mulher, e para essa data eu quis homenagear, não apenas vocês mulheres incríveis, mas trazer a memória muitas outras mulheres que fizeram história no nosso País. Talvez você não conheça algumas delas e nem saiba o porquê de ela ter sido tão importante na construção do nosso Brasil, mas a partir de agora você conhecerá um pouco dessas mulheres incríveis que abrilhantaram nossa história com sua luta e perseverança! Se inspirem!

1 – Tarsila do Amaral

Ela é autora de uma das pinturas brasileiras mais famosas  e valorizadas do país, o Abaporu.  Tarsila é um dos nomes centrais da primeira fase do modernismo artístico no Brasil e foi uma das responsáveis pela organização da revolucionária Semana da Arte Moderna de 1922, realizada em São Paulo.

2 – Marta Vieira

Você sabia que a Marta foi eleita por 5 anos consecutivos a melhor jogadora de futebol do mundo? Incrível, não é? Entre os homens, nem Pelé e Ronaldo alcançaram essa marca! Ela é também a maior artilheira da Seleção Brasileira (contando a masculina e a feminina) e a maior artilheira da Copa do Mundo de Futebol Feminino. Essa mulher é um prodígio mesmo.

3 – Maria Quitéria de Jesus

Considerada a Joana D’Arc brasileira, Maria Quitéria de Jesus lutou pela independência do Brasil, no início do Século XIX. Para poder entrar em combate, ela disfarçou-se de homem e apresentava-se como soldado Medeiros aos outros oficiais. Acabou sendo desmascarada pelo próprio pai, mas foi defendida por seu comandante e continuou lutando ao lado dos homens.

4 – Hebe Camargo

Eterna rainha da televisão nacional, Hebe esteve ao lado de Assis Chateaubriand no nascimento da Rede Tupi, a primeira emissora brasileira de TV. Na época, ela comandava o primeiro programa feminino lançado aqui no Brasil, intitulado “O Mundo é das Mulheres”.

5 – Leia Diniz

Em plena ditadura militarLeila era defensora do amor livre e da emancipação feminina. Foi pioneira em usar biquíni na praia durante a gravidez e abriu caminho para que esse tabu fosse desmistificado. Aos 20 e poucos anos, era uma das maiores musas da televisão brasileira e também a que mais falava sobre sexo abertamente. Morreu aos 27 anos, em um acidente aéreo. Ela voltava de uma viagem à Austrália e sua filha tinha apenas 7 meses na época.

6 – Lota de Macedo Soares

Sem nunca ter cursado faculdade, Lota foi uma das mais importantes arquitetas do Rio de Janeiro nos anos 1960. Ela foi uma das responsáveis pelo ambicioso projeto do Parque do Flamengo, o maior aterro urbano do mundo.

7 – Maria da Penha

Depois de escapar de duas tentativas de assassinato por parte do marido e lutar durante 20 anos para ver o agressor e o Estado punidos, alertou o governo para a urgência de uma legislação que protegesse mulheres vítimas de violência doméstica. Sua batalha não foi em vão e a lei que leva seu nome vigora desde 2006. Hoje, ela coordena uma ONG que auxilia vítimas e trabalha no combate ao problema.

8 – Chiquinha Gonzaga

Foi a primeira mulher a reger uma orquestra no Brasil e também é autora da primeira marchinha de carnaval da história: “Ó Abre Alas”, composta em 1899. Trocou o marido pela arte, criou dois filhos sozinha, compôs mais de 2 mil músicas e ainda lutou contra a monarquia e em favor da abolição da escravatura. O Dia Nacional da Música Popular Brasileira é comemorado em 17 de outubro, data em que ela nasceu.

9 – Anita Garibaldi

Intitulada como “a heroína dos dois mundos”, Anita foi uma revolucionária que fez história no Século XIX. Nasceu em Santa Catarina e lá casou-se com o guerrilheiro italiano Giuseppe Garibaldi, com quem lutou na Revolução Farroupilha (aqui no Brasil) e contra a invasão do exército austro-húngaro (na Itália). Teve cinco filhos, mas nunca deixou de lado os fronts de batalha, mesmo enquanto estava grávida.

10 – Zilda Arns Neumann

Reconhecida como uma das maiores humanitárias do Brasil, foi uma pediatra importantíssima para a redução da mortalidade infantil no país. Seu legado iniciou-se em 1983, quando ela fundou a Pastoral da Criança, uma gigantesca instituição ligada à Igreja Católica que hoje funciona em 20 países e atende mais de 1,5 milhão de crianças e adolescentes. Zilda faleceu no Haiti, em 2010, vítima do terremoto que dizimou o país naquele ano.

Uaaaau, sei que teria muitas outras para colocar aqui e que te inspirariam de alguma forma. Mas vou ficar com essas 10. Eu realmente espero que você tenha se inspirado nessas lindas mulheres! Feliz dia para todas nós!

 

Compartilhe! ^-^


Comente muito!!



rocker-girl—colecao-2019—slide2
rocker-girl—colecao-2019—slide1